teologia na pratica
20 jul 2016

Teologia na Prática

//
Comentários0
/

E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória,
como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.
João 1:14

O texto bíblico citado acima, nos ensina sobre a decisão de Deus em fazer parte do cotidiano dos homens. A encarnação foi a maneira Dele de nos ensinar sobre seu desejo de estar presente em cada instante da vida humana, de se revelar de formar prática em cada situação vivida pela humanidade. Isso nos faz entender que uma teologia realmente relevante é realizada na simplicidade da vida e que a fé nos leva a enxergar Deus em cada momento, em cada situação de nossa mais simples rotina.

Cada cristão faz teologia. Claro que cada um à sua maneira, sem precisar o método e sem questionar suas próprias definições. Mas todo cristão que pensa sobre sua fé e a proclama está, em certo sentido, se fazendo teólogo.

A diferença daqueles que escrevem e dos que palestram em congressos e seminários, dos que encontramos sentados nos bancos de nossas igrejas, atentamente ouvindo e interagindo com a pregação do Evangelho, é que uns são capazes de descrever de forma teórica aquilo que todos vivenciam na prática, ou seja, o agir do Deus do impossível em meio às muitas impossibilidades humanas.

A fé é uma experiência sentida, capaz de ser retratada e que transforma a vida do indivíduo. A teologia, por sua vez, é a codificação inteligível dessa experiência. Neste sentido, concordamos com o que diz Daniel L. Migliori, quando afirma:

“A teologia não é uma simples repetição doutrinária, mas uma busca constante pela verdade que nos é revelada.”

Teologia é o processo de viver a realidade, sentir suas alegrias e tristezas, mas com o foco no divino por meio da fé, a qual sempre nos levará a perguntar sobre Deus e como ele está agindo em cada momento em que somos impactados pelas surpresas que a vida nos apresenta. O fazer teológico nos leva a olhar o passado registrado nas Sagradas Escrituras com a finalidade de compreender o presente, bem como, estabelecer uma perspectiva para nosso futuro, quer seja como indivíduos ou como Comunidade Cristã.

O teólogo Alberto Fernando Roldán diz:

“De certo modo, podemos dizer que, a partir do momento em que começamos a refletir e a falar acerca de Deus, estamos fazendo teologia.”

Logo a teologia não é privilégio de poucos, mas a ação da comunidade cristã que vive, sente, trabalha, se decepciona, luta, adoece, sofre, se alegra e chora. Enfim, aqueles que na perspectiva da fé entendem que a vida não se faz do acaso, mas da ação divina em cada episódio desta grande trama.

Quando os discípulos estavam caminhando com o Mestre, se assentando ao seu redor para ouvi-lo, quando foram tomados de pavor em meio ao mar revolto, quando viram cegos terem suas vistas restauradas, quando se alegraram pelos paralíticos que andaram ou mesmo quando testemunharam mortos ressuscitarem, nenhum deles disse: Agora vou me sentar e escrever um compêndio teológico. Claro que não.

Mas ao presenciarem tudo aquilo, suas emoções foram tocadas, suas vidas tomaram um novo rumo, cada experiência foi compartilhada e, aos poucos, a fé dos apóstolos foi sendo formulada, anunciada de forma sistemática, organizada e discutida na Igreja em suas muitas comunidades espalhadas por sobre a Terra e a teologia nasceu de forma simples, da vivência de homens, mulheres, crianças, jovens e velhos, que tiveram o contato com o Senhor Jesus, seja de forma visível, seja por meio da proclamação daqueles que estiveram com Ele.

A teologia na prática é a prática da fé frente aos desafios do dia a dia. É a fé, por meio da Bíblia, nos ajudando a entender os dilemas que temos que enfrentar todos os dias de nossas vidas. Portanto, a teologia não é uma ciência teórica, mas a prática da fé. Estamos fazendo teologia quando lemos estas poucas linhas, se elas nos fazem pensar sobre o agir de Deus em nossa vida. Teologia é a prática da fé.

Conheça o curso de Complementação Teológica em EaD

Diploma igual ao presencial
QUERO CONHECER

Deixe um comentário