podologia
5 jul 2016

É possível estudar Podologia por EaD?

O avanço da tecnologia, atrelado à correria do dia a dia, nos proporciona e ao mesmo tempo nos obriga a buscar caminhos que harmonizem um ensino de qualidade e que permitam flexibilidade, possibilitando o melhor aproveitamento do tempo e espaço.

Na formação do profissional em Podologia não é diferente. A profissão tem relatos ao longo da história de ter tido início em meados de 54 DC. Até Popeia, a esposa de Nero, tinha o soldado Cayus como calista (antigo nome da profissão) oficial. O cuidado com os pés tem registro em pirâmide do Egito. Embora tais apontamentos confirmem o tempo de existência da atividade, no Brasil ainda temos um longo caminho a percorrer.

Quando se fala em educação a distância (EaD), muitos generalizam como sendo um curso com 100% das aulas realizadas a distância. Porém, existe a modalidade semipresencial, onde temos os cursos como o Superior Tecnológico em Podologia e Radiologia, ambos da área da saúde. Algumas disciplinas dependem de aulas práticas e, desta forma, devem ser realizadas presencialmente. Todavia, as disciplinas teóricas podem ser melhor aproveitadas em ambiente virtual, dependendo exclusivamente da dedicação do aluno, que recebe todo o conteúdo e acompanhamento por parte do professor, tutor, coordenação e equipe para lhe proporcionar o conhecimento da área e sanar possíveis dúvidas.

Para que a profissão cresça, se fortaleça, seja respeitada na área da saúde e possa ser independente, é importante que mais cursos surjam, alcançando cada vez mais pessoas de todas as regiões do País. Este é um dos diferenciais do curso por EaD.

O que o aluno que deseja fazer um curso de Podologia deve saber antes de realizar a matrícula?

Apesar da Podologia ainda não ser regulamentada como profissão, ela não pode ser considerada terra de ninguém. Existem algumas exigências que as instituições devem seguir para oferecer um curso de qualidade aos alunos. Alguns questionamentos devem estar presentes na hora de escolher onde estudar.

Vejamos algumas dicas para não errar na escolha:

  1. O primeiro ponto, talvez o mais importante, é conhecer a procedência, a história da instituição em que se pretende estudar, identificar qual o conceito da instituição e do curso perante os órgãos de educação;
  2. Procure na instituição o coordenador do curso e converse sobre a profissão que se deseja e o curso sobre o qual tem interesse; procure tirar todas as dúvidas antes de se inscrever em um curso;
  3. Defina onde se enquadra e saiba a diferença entre:
  • CURSO LIVRE, ATUALIZAÇÃO, HABILITAÇÃO – Todo curso que não é regido por lei específica. Como exemplos, há os cursos de dança, reforço escolar, esportes, idiomas, artes plásticas, informática e segurança.
  • CURSO PROFISSIONALIZANTE – Geralmente não têm exigências com relação ao grau de instrução e têm curta duração.
  • CURSO TÉCNICO – São programas de nível médio com o propósito de capacitar o aluno, proporcionando conhecimentos teóricos e práticos nas diversas atividades do setor produtivo e duram em média de um ano e meio a dois anos ou 1200 horas.
  • CURSO SUPERIOR TECNOLÓGICO – É uma modalidade de graduação de nível superior, em que se foca em uma área específica do conhecimento e é voltada ao mercado de trabalho, tendo boa parte da carga horária em disciplinas práticas. Oferece um diploma de graduação em nível superior, exatamente como qualquer outro curso superior. A LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação, Lei 9394/1996) consente que o tecnólogo dê continuidade aos seus estudos em outros cursos e programas de educação superior, pós-graduação, mestrado e doutorado, dependendo do interesse. Dura entre 2 e 3 anos.
  • CURSO SUPERIOR EM BACHARELADO – Forma profissionais generalistas, com disciplinas teóricas e algumas práticas. Ao finalizar o curso, este será capaz de atuar em diferentes ramos de uma mesma área do conhecimento, poderá especializar-se em uma delas, tanto com a experiência no mercado de trabalho como por meio de pós-graduações. Dura entre 3 e 6 anos.
  • CURSO SUPERIOR EM LICENCIATURA – Forma educadores, tendo disciplinas ligadas à Pedagogia e à Didática. O egresso em licenciatura pode dar aulas nos ensinos fundamental e médio. Dura entre 4 e 5 anos.

No Brasil, podemos encontrar as modalidades de cursos para técnico, tecnólogo e bacharelado, com títulos bem parecidos, como Técnico em Podologia, Superior Tecnológico em Podologia e Bacharelado em Podologia.  É importante reconhecer a diferença entre os três e a sua expectativa sobre seu futuro, para fazer a melhor escolha.

Existem ainda os cursos de PÓS-GRADUAÇÃO, que podem ser LATU SENSU e incluem:

  • ESPECIALIZAÇÃO – é um grau acadêmico de pós-graduação lato sensu de conhecimentos técnicos e científicos de uma área especifica. O certificado é de Especialista. O reconhecimento pelo MEC é só para cursos com duração mínima de 360 horas-aula e tem como pré-requisito básico a conclusão de um curso superior.
  • MBA – Master of Business Administration – Em inglês, Mestre de Administração de Negócios, direcionado a administradores e executores das áreas de gestão de empresas e gestão de projetos.

No STRICTO SENSU, temos o MESTRADO e o DOUTORADO. Existem também cursos de pós-doutorado, entre outros.

Agora que você já sabe a diferença entre as várias opções de curso e grau acadêmico, fica mais fácil definir o que deseja para seu futuro. Você já sabe também que a tecnologia do ensino a distância veio para facilitar o processo de aprendizagem, possibilitando um melhor aproveitamento do conteúdo da parte do aluno.

Aliar a Podologia à tecnologia é dar um salto para o futuro!

Conheça o curso Superior de Podologia semipresencial

Diploma igual ao presencial
QUERO CONHECER

Deixe um comentário